Revival Castanho

quinta-feira, janeiro 12, 2017 Mundo Lilo 0 Comments

Olha só, esqueci seu nome. Deu branco.


Se respirássemos fundo sufocaríamos com as fumaças dos pensamentos ao redor - ainda assim, o cinza deles embaçou a janela da traseira do carro. Eu saltei. Alguns arranhões e queda. Me exibo entre cautelosos.

Eu que não costumo chorar sobre os destroços sem me entediar de sofrer, peguei alguns artefatos da explosão e em metal e cobre, sobrou o ferrugem da construção frágil. Passei a cor nos lábios e cantei uma música que acordou os mortos.

Costumava sentir meu coração em laranja cítrico, iluminando em ácido leve, que desperta, que dá sabor notável. Sentia a vida macia e doce. E era união, e amor, e carinho, admiração. Era entrega para outros seres. Era tecido que envolvia em acolhimento. Era batida alta que calava o mundo, mas não calava nosso riso. E eu amei todos, de todo o meu coração, e cegueira.

Porque atrás da árvore há o animal selvagem, e atrás de alguém há a intenção.
Seu nome, eu tô tentando lembrar. ( O dia amanheceu e eu nem percebi.)

As pessoas são aleatórias aqui.
(Vou dormir.)

O seu lado bom, eu que criei.

Melhor dormir, já estou bêbada de sono.
( E ele e ela, do outro lado da cidade sem conseguirem dormir, querendo algo que não são. )



Você pode gostar também

0 comentários: