Frankenweenie

quarta-feira, junho 08, 2016 Mundo Lilo 0 Comments

   O diretor do filme trabalhou na Disney quando mais jovem, e foi demitido por " gastar o dinheiro da empresa produzindo um curta-metragem considerado muito sombrio para o público infantil." Vinte anos depois, ele foi convidado pela própria empresa que o demitiu a fazer um longa metragem dessa mesma estória. O que será que ela tem de tão especial para a Disney reconsiderar? Vamos ver na indicação de filme de hoje.

   Gente, primeira coisa: O tal diretor é o Tim Burton, e eu já poderia parar por aí, porque né? TIM BURTON ( a doida do Tim burton aqui). Mas tem muito mais.

   A animação é toda feita em Stop-Motion. Pra quem não sabe, são bonecos, e não tem nada de computação gráfica. Os cenários são maquetes. e as cenas são fotografadas. Em cada ação, o diretor move um pouquinho o corpo do boneco. O trabalhão que deve dar pra fazer um personagem dando tchau, imagine um filme inteiro? O resultado é impecável. Só um virginiano pra ter essa paciência, viu?

 A estória é sobre um menino apaixonado por ciências, que  ressuscita seu cachorro que morreu. O feito começa a causar inveja em alguns garotos que pretendem fazer o mesmo para ganhar a feira de ciências da escola.

  O filme é isso mesmo, todo em preto e branco. Tim Burton quis dar um tom mais emotivo ao filme, e por isso optou por não usar cores.
                              (Essa menininha é muito engraçada. Ri muito dela,)

Em clara referência ao clássico do terror Frankenstein, também podemos notar outras como filmes e quadros do expressionismo alemão. Mas o Tim Burton é um querido, gente. Suas obras sempre tem um ar doce e infantil. E humor também é um de seus fortes. As crianças de seus filmes normalmente são diferentes, sonhadoras, e parecem não se encaixar no padrão da sociedade. Também sempre traz mensagens sobre sermos autênticos, e fazermos as coisas de coração.

Essa é a minha dica de filme de hoje.
Espero que gostem!
Beijão!

Conheça meu canal no youtube: www.youtube.com/mundorayo

Você pode gostar também

0 comentários: