segunda-feira, abril 06, 2015

Resenha filme Insurgente + Análise

| |
                           Foto: Divulgação

                           Aviso: Pode conter Spoilers
                           Aviso 2: Não xinguem minha mãe por isso, avisei no aviso 1.

Tris (Shailene Woodley) e Quatro (Theo James) agora são fugitivos e procurados por Jeanine Matthews (Kate Winslet), líder da Erudição. Em busca de respostas e assombrados por prévias escolhas, o casal enfrentará inimagináveis desafios enquanto tentam descobrir a verdade sobre o mundo em que vivem.

Galera, esse filme ficou muito foda! Os efeitos estão ainda mais realistas que o primeiro, e o Quatro mais lindo do que nunca hahaha (licença para periguetagem literária). 

Estou simplesmente adorando a nova onda das protagonistas de filmes, fortes porém reais com suas fragilidades. Nesse filme, as granulações de Tris ficam em super evidência. Seus dilemas, a falta e a culpa que sente pela morte dos pais, a raiva que sente por Jeanine, começam a interferir no seu comportamento e decisões.

O filme se desenrola a partir das fugas de Tris e Quatro entre facções que os acolhe, e a busca de Jeanine por alguém para abrir uma caixa que somente um divergente é capaz. Sobre o final, por mim, a estória acabaria por ali mesmo. Quem leu os livros (ou spoilers sem querer na internet -EU!) sabe que a partir daqui é só sofrência hahaha. 

Esse filme traz uma mensagem muito forte. A forma como a sociedade tenta a qualquer custo encaixar as pessoas em grupos, e quando alguém é diferente dos demais, logo é tratado como ameaça ( divergente ) ou excluído ( sem-facção ). Ao fim, percebemos que o mundo se move e se modifica a partir de quem é diferente, de quem questiona, ou como escreveu Jack Kerouac:


"Aqui estão os loucos. Os desajustados. Os rebeldes. Os encrenqueiros. Os que fogem ao padrão. Aqueles que veem as coisas de um jeito diferente. Eles não se adaptam às regras, nem respeitam o status quo. Você pode citá-los ou achá-los desagradáveis, glorificá-los ou desprezá-los. Mas a única coisa que você não pode fazer é ignorá-los. Porque eles mudam as coisas. Eles empurram adiante a raça humana. E enquanto alguns os veem como loucos, nós os vemos como gênios. Porque as pessoas que são loucas o bastante para pensarem que podem mudar o mundo são as únicas que realmente podem fazê-lo."

Beijão!

Um comentário:

.